Água suja fornecida pela Sabesp vira ‘estopim’ para briga entre os políticos de Taboão da Serra
07/05/2019 07:43 em Sabesp

A água suja fornecida pela Sabesp a moradores de alguns bairros de Taboão da Serra durante dias causou discussões acaloradas na classe política taboanense na semana passada. Foram discursos em tribunas, da Alesp e da Câmara, reunião com a empresa e bate-boca nas redes sociais.

Em fevereiro, alguns moradores relataram ao Taboão em Foco a cor escura da água, que estava saindo das torneiras. Na época, a Sabesp, empresa responsável pelo fornecimento chegou a verificar o caso, não deu resposta conclusiva das causas.

Porém, o tema voltou à tona com o discurso do deputado estadual Aprígio (PODE) na tribuna da Alesp. “A Sabesp, na minha cidade, em Taboão da Serra, está fornecendo água podre à população. Água que ninguém pode beber, que ficam doente”, discursou [VEJA AQUI].

Horas antes, a também deputada Analice Fernandes (PSDB), junto com o prefeito Fernando Fernandes (PSDB) e uma comitiva de vereadores, tiveram reunião com o presidente da Sabesp, Benedito Braga e o diretor metropolitano Paulo Massato em busca de “esclarecimento sobre a qualidade da água, da região sudoeste, em especial Taboão da Serra”.

Oficialmente, segundo relato da Sabesp a comitiva, o problema “foi que uma correção no PH (índice de acidez) da água” que “causou a alteração da cor por ocorrência do desprendimento de substâncias ferrosas na rede de distribuição. […] apesar do aspecto indevido, não oferecia nenhum tipo de perigo ou risco à saúde”, diz.

O discurso do Aprígio causou aversão entre os vereadores governistas que subiram a tribuna e o acusaram de tentar criar o caos. “Nós vimos o deputado estadual José Aprígio na tribuna da Assembleia Legislativa dizer que a Sabesp vende água podre para Taboão, Embu, Itapecerica e São Lourenço. A fala beira a irresponsabilidade”, acusou o vereador Eduardo Nóbrega (PSDB).

Cido (DEM) também falou a respeito dos comentários do deputado. “A deputada Analice busca ir falar diretamente com o presidente da Sabesp e buscar informação na fonte, sem alarmar, sem nada. Diferentemente do deputado José Aprígio que na Assembleia Legislativa utiliza a tribuna para dizer que a água estava podre. Temos que ter cuidado quando falamos. A população pode pensar em ficar doente só em pensar em tomar a água”, discursou.

Em outro vídeo, já em seu gabinete, Aprígio ratificou as críticas. “Vai à casa das pessoas. Em toda casa que você entrar, você vai ver uma garrafa de água mineral porque não suporta a água da Sabesp”, diz.

AUDIÊNCIA

Na próxima quarta (8), 10h, a Comissão de Obras, Serviços Públicos e Atividades Privadas da Câmara Municipal realiza audiência pública para tratar da qualidade da água fornecida pela Sabesp em Taboão da Serra. A Sabesp foi convidada, mas não havia confirmado a presença.

“Não podemos deixar esse problema sem solução, jogar para debaixo do tapete. A água que chega nas torneiras da população de Taboão da Serra assusta, principalmente nos bairros mais carentes. A água vem cor barrenta e cheiro forte, a Sabesp deve explicações para o povo e para os vereadores”, diz o vereador Professor Moreira, presidente da comissão.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE